12 de abr de 2010

Universo Paralelo





Criei dentro de mim um universo convexo, invertido e paralelo à realidade.
Nele, eu enxergo as pessoas como se estivessem despidas.
E quando me agridem me faço sorrir,
Pois que, no íntimo, bem somos todos como crianças.
Tapando os olhos com as mãos para fugir do que temos medo.
Criando conceitos através de como nos são vendidos.
Enxergando nos outros, tais como espelhos,
As rachaduras e infiltrações de nossos espíritos.
Nele eu amo mais do que a realidade permite.
E escuto mais com as palavras que não ouço.
Crio estórias com finais bem felizes.
E deixo páginas em branco.
Porque gosto de rascunhos, os acho bonitos.
Nele, eu reparo mais nas pessoas que amo.
E agradeço, em silêncio, a cada um, por sua existência.
Nesse meu universo paralelo não há perfeição.
Porque ser perfeito é condição.
E nele não há espaço para dúvidas.